“Voto Útil” é alvo de discussão na Câmara de Cascavel

Evento contou com autoridades e sociedade civil organizada em debate sobre os votos nas próximas eleições

Foto: Flavio Ulsenheimer

Seu voto, nas últimas eleições, foi um “voto útil”? Você votou em quem mora em sua região ou optou por candidatos de outras regiões? A questão parece simples, mas levou os vereadores da Câmara de Cascavel a organizarem uma Audiência Púbica com o tema “valorização o voto em político regional”, frisando a importância, segundo eles, de terem representantes do legislativo Estadual e Federal que sejam da Capital do Oeste.

Entre os representantes da Sociedade Civil Organizada e entidades de classe, esteve presente ao encontro o advogado Marroquis Borgo Freire emitiu sua opinião. “Parabéns aos proponentes desse debate por trazer isso à discussão. Temos que analisar essa questão a fundo. Uma alternativa seria seguir o modelo americano, distrital, onde poderíamos propor um projeto para que o voto passasse a ser regional, por meio de uma Lei no Congresso Nacional”, explanou. Para o advogado, o cenário se mostra preocupante. “Nas últimas eleições caímos (Cascavel) de cinco para apenas um Deputado Federal. Em uma democracia, o voto é um termômetro daquilo que a sociedade pensa e daquilo que esperam dos representantes. De mais de 200 mil votos válidos nas últimas eleições, cerca de 70 mil foram nulos ou brancos”, explicou ele.

Uma das questões centrais do debate foi sobre a satisfação dos eleitores e a representatividade dos candidatos com a região. “Os números que mencionem mostram que a população não está se sentindo representada”, continuou Marroquis. “Temos que ver, contudo, que um candidato da cidade sabe melhor do que ninguém a realidade local. Precisamos de candidatos comprometidos com nossa realidade”, finalizou.

Definições
A Comissão da Audiência Pública formalizou um documento, seguindo as contribuições e ponderações dos presentes na solenidade. Ficou definido, a partir disso, “que os partidos políticos montem comitês de avaliação e qualificação dos candidatos, para que possam oferecer sempre o melhor serviço à população, com pessoas capacitadas para os cargos que irão ocupar, além de uma limitação do número de candidatos que irão concorrer às eleições”, além de “repensar o slogan da Audiência Pública ‘’Cascavelense vota em cascavelense’’, para que não sejam excluídos os candidatos de cidades vizinhas que também contribuem com o desenvolvimento de toda nossa região”.

Uma das propostas consideradas leva em conta uma “campanha de conscientização para que a sociedade possa analisar melhor seu voto e depositar em candidatos de Cascavel e região”, e entre outras coisas, “explicar para a população a função de cada agente político na sociedade, Deputado Estadual ou Federal, explicar também como funcionam as emendas parlamentares”.

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.