Parem de defender o vídeo ultrajante

Luiz Carlos da Cruz

O Brasil já sofreu demais nos últimos anos com governos que literalmente saquearam a República. Quando imaginávamos que teríamos um governo preocupado com os rumos político, econômico e social do País, nos deparamos com um presidente que foca em interesses paralelos e sem relevância, e esquece de tratar dos problemas da Nação.

Ao invés de se preocupar com vídeos obscenos, o presidente Jair Bolsonaro deveria estar dialogando com a nação suas propostas para gerar empregos, por exemplo. O novo governo herdou um país com 12 milhões de desempregados e até agora não vi proposta concreta alguma para resolver a questão.

Bolsonaro precisa crescer, amadurecer e ter a postura que o cargo exige. Ao compartilhar um vídeo grotesco, nojento, que beira a pornografia, o presidente mostra estar imbuído de interesses que em nada vai mudar a nação e expôs crianças e adolescentes a uma cena degradante.

É hora de pensarmos nos problemas reais do Brasil e ignorar os movimentos antissociais e ultrajantes que teve apoio da esquerda ao longo dos anos. Precisamos nos concentrar no País. Ao virar chacota internacional, o Brasil que sempre foi piada no exterior só fortaleceu essa ideia após a repugnante divulgação do vídeo obsceno.

Combater o lixo usando o esgoto não é o melhor caminho. Essas atitudes grotescas e nojentas que ocorrem, principalmente em época de Carnaval, se combatem com investimentos em educação, mas parece que o novo governo não está preocupado com isso e acha que o País gasta demais com ensino. Não é que gaste demais, o dinheiro sempre foi mal aplicado e desviado pelas últimas quadrilhas que passaram pelo Planalto.

O vídeo é ultrajante, sim. Eu me senti ofendido com a veiculação. Portanto, parem de defender a exibição do vídeo. Não foi e nunca será normal um presidente compartilhar vídeos desta natureza, principalmente por alguém que sempre pregou a moral e bons costumes.

Luiz Carlos da Cruz é jornalista e editor do Portal BOANOITE!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.