Valeu por esse sorriso

Luiz Carlos da Cruz – Jornalista

Nos meus 15 dias de férias aproveitei boa parte deles para “carregar pedras”, como diz aquele velho ditado popular. Fiz contatos, visitei clientes, fechei negócios, mas essa não é a história que eu quero contar.

Foi retornando de uma dessas visitas, caminhando pela Avenida Brasil, em Cascavel, que me deparei com duas mulheres que seguiam no sentido oposto. Uma era jovem e outra com um pouco mais de idade, aparentavam ser mãe e filha.

Percebo que a jovem mulher de longe me olhava como se estivesse reconhecendo em mim alguma pessoa do seu convívio.

Quando me aproximo ela me olha e diz em tom de pergunta:

– Silas?

– Oi – respondi percebendo que ela havia me confundido.

A outra mulher interferiu na conversa e percebi que estava certo na minha percepção.

– A Deise te reconheceu. Como você se chama?

– Luiz – respondi.

– Mas não te chamam, também, por outro nome? Silas?

– Acho que a Deise me confundiu, senhora – respondi tentando ser simpático e não deixá-las constrangidas por terem feito a confusão.

– Eu também acho, mas valeu por esse sorriso – disse a mulher.

Ela também abriu um sorriso e a mulher que, por um relapso meu, nem cheguei a perguntar o nome seguiu adiante.

Confesso que sou meio carrancudo, mas quando estou conversando com alguém há espontaneidade no sorriso. É um santo remédio, tanto para quem sorri, quanto para quem recebe um sorriso.

Às vezes o coração pode até sofrer, mas ele está ali escondidinho, é só nosso, ninguém o vê. O rosto, no entanto, pertence próximo e, por isso, é preciso sorrir.

O teu sorriso pode mudar a vida de alguém. Jó, no auge da sua aflição, lembrou o que seu sorriso era capaz de produzir nas pessoas.

“O meu sorriso era capaz de motivá-los quando estavam deprimidos; a luz do meu rosto lhes fazia recobrar a alegria de viver” (Jó 29:24).

Sorrir gera mais empatia e confiança nas pessoas que estão ao nosso redor. Sorria sempre! Eis a chave da felicidade: amar e sorrir!

Redação

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.