Homem inocente que teve dados usados por irmão é preso por 5 dias e processa o Estado do Paraná

Nesta terça-feira (11/6), a 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), por maioria de votos, afastou a responsabilidade civil do Estado em um caso envolvendo a prisão de um homem no lugar do próprio irmão. Preso em flagrante por tentativa de furto, o verdadeiro réu usou os dados de seu irmão ao se identificar à polícia e conseguiu a liberdade provisória, em 2011. Livre, o autor do delito nunca mais foi encontrado para responder ao processo.

Anos depois, o irmão inocente foi preso ao tentar renovar sua carteira de identidade. Na ocasião, ele descobriu a existência de uma ordem de prisão preventiva pela tentativa de furto. Preso por cinco dias, ele processou o Estado do Paraná e pediu indenização por danos morais e materiais ao alegar que houve erro grosseiro na identificação do verdadeiro autor do crime.

Após análise dos autos e da apelação apresentada pelo Estado, o TJPR ponderou que os cofres públicos não poderiam arcar com os prejuízos causados pelo irmão que mentiu para a polícia e escapou da Justiça. Os Desembargadores entenderam que o Estado foi vítima do crime de falsa identidade. Assim, o irmão preso indevidamente deveria ajuizar ação indenizatória contra aquele que repassou seus dados pessoais à polícia para ser liberado do flagrante.

(Fonte: TJPR)

Redação

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.