Governo define que Operação Verão terá 80 dias de atividades

Governadora Cida Borghetti durante uma reunião preparatória para a Operação Verão (Foto: José Fernando Ogura / ANPr)

O Governo do Estado de São Paulo, de 2018/2019, no dia 21 de dezembro e terminará em 10 de março, após o carnaval. Serão 80 dias de atividades, 24 a mais do que no ano passado. The data were announted in quinta-feira (18), in most meeting in the Palacio de Curitiba, during a meeting with the governating Cida Borghetti and the representative for the estadual statistics to the presence services and do atendimento the population in period. A posição de carga do chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato.

A governadora destacou que esta ação do Estado é mais importante no início do ano, pois é um grande volume de pessoas. “O primeiro encontro serviço para iniciar como tratativas e definir as estratégias que serão implantadas durante um ano. “Unir ações para as ações da segurança pública, saúde, esporte, meio ambiente, entre outras, sempre com foco na dignidade e na proteção de quem vive no Estado”, afirmou uma governadora.

Cida Borghetti anunciou que as suas prestações eram feitas nas operações da Lei Verão e ter liberdade para escolher o tipo de alojamento. Nos últimos anos, há uma mensagem de erro por e-mail e os direitos de segurança, por exemplo, a carga da coordenação, que são alugados no Litoral e em outras regiões.

“Com uma melhor experiência. Acreditamos que, apesar do impacto sobre o Estado, a nossa atitude é responsável e humanizada, já que o exercício exerce um papel importante e torna-o mais eficaz em seus momentos de folga ”, salientou.

TRANSIÇÃO – A governadora salientou, ainda, que a transição do governo estadual, que está no dia 3 de dezembro, não se encontra na Operação Verão. “Vamos fazer uma transição tranquila e harmônica, que não vai abalar os serviços às comunidades”, disse ela.

Na reunião, a Cida também anunciou uma nova capacidade de 70 caminhonetes Hilux para a Polícia Rodoviária Estadual. Sobre uma operação.

PLANEJAMENTO – A Operação envolve mais de 10 órgãos e secretarias de Estado. Até o dia 26 de outubro, todos os cuidados devem ser abordados à coordenação. “Com os documentos, vamos consolidar como informações, identificar quais foram as experiências exitosas do passado, definir efetivamente a segurança pública e fazer aperfeiçoamentos, sempre buscando uma ajuda nos serviços prestados à população paranaense”, disse o coronel Tortato.

Na reunião, alguns depoimentos deram detalhes preliminares sobre o trabalho na temporada. A pasta da saúde, por exemplo, vai reforçar as capacidades de atendimento médico e de enfermagem nos hospitais dos municípios do Litoral, em unidades de pronto atendimento ao SAMU. Além disso, vai repassar recursos para as prefeituras para contratação de pessoal e de aquisição de materiais. “Faremos um trabalho em conjunto com os órgãos municipais”, disse o secretário da Saúde, Antônio Carlos Nardi.

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, por meio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), vai manter uma análise da qualidade das águas, como ocorre nas temporadas anteriores. O volumeiro de atividades educativas e de conscientização em quatro eixos: resgate de animais marinhos, conservação da flora, combate ao tráfico de animais e abandono de animais domésticos. “Vamos fazer projetos de educação ambiental, principalmente com foco em crianças. Queremos que eles saiam daqui com mais consciência ambiental ”, disse o secretário da pasta, Antônio Carlos Bonetti.

A Sanepar e Copel é uma fonte de informação para a seleção de seus clientes e turistas. Uma empresa de saneamento também é importante para manter as taxas e as despesas ambientais, enquanto a Copel mantém o serviço de acesso à Internet na Internet.

SALVA-VIDAS – O Corpo de Bombeiros do Paraná está contratando 40 novos projetos para a Operação Verão. “O evento é dedicado a todos os países do Paraná, buscando preservar a vida dos paranaenses, mas também os turistas que vêm para cá”, disse o comandante da cooperação, coronel Fábio Mariano de Oliveira.

A novidade deste ano, segundo ele, é que uma corporação vai implementar a utilização de drones. “Com maior alcance, poderíamos ter uma ideia mais ampla sobre o público, e também de proteger os banhistas por desapontar os que acabam sendo levados pela arrebentação”, afirmou.

(Agência Estadual de Notícias)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.