Equipes intensificam trabalhos de melhorias nas vias públicas

Operação tapa-buraco aconteceu hoje nas marginais da BR-277 e na região central de Cascavel

Cascavel tem hoje 98,3% de suas vias urbanas pavimentadas e boa parte desta malha já possui de 20 a 30 anos. Por ser antigo, o asfalto  requer manutenções constantes com operações tapa-buracos que surgem pela excesso de tráfego e também devido as chuvas constantes e intensas, como ocorreu recentemente no Município.

“Graças a Deus tivemos a chuva que veio em boa hora, pois estávamos precisando. Mas junto com ela veio também esses problemas como os buracos nas ruas da cidade. Estamos atentos, vigilantes e trabalhando todos os dias com nossas equipes para atender de forma rápida a necessidade dos nossos moradores. Só pedimos um pouco de paciência, pois temos uma extensão grande de ruas asfaltadas em Cascavel e precisamos atender tanto os bairros como as ruas centrais e os distritos”, explicou o prefeito interino, Renato Silva, que esteve hoje (22) acompanhando os serviços realizados na marginal da BR-277, do entroncamento com a Avenida Tito Muffato até o Núcleo Industrial Albino Nicolau Schimidt.

Cascavel possui 1.167 quilômetros de ruas asfaltadas, o que representa mais de 10 milhões de metros quadrados; E para atender  toda a demanda de melhoria e manutenção destas vias, a Secretaria de Obras Públicas (Sesop) segue um cronograma de trabalho para contemplar todas as regiões onde o problema é notificado. “Nós usamos nas operações tapa-buracos o mesmo material utilizado na pavimentação que é o CBUQ usinado na pedreira do Município.Todo o ano o Município investe  na manutenção destas vias, mas os problemas vão surgindo e  nossas equipes estão sempre em campo fazendo estes reparos”, disse o secretário de Obras, Sandro Rancy.

“A grande vantagem que temos é a nossa usina de asfalto que tem capacidade de produzir até 200 toneladas/dia para usarmos no tapa-buracos. Como cerca de 200 km de  nossas vias, são antigos , com mais de 20 a 30 anos, estão desgastados e há infiltração de água na malha e onde há infiltração surgem os buracos e precisamos sempre estar atentos a isso”, explicou o engenheiro Marcos Almeida.

Luiz Carlos da Cruz

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.