Educação: Obras na Escola Hermes Vezzaro avançam em Cascavel

Alunos e servidores já estão adaptados aos novos espaços e anseiam ver a escola de cara nova

O mês de maio tem sido bastante intenso para a comunidade escolar da Escola Municipal Hermes Vezzaro, no bairro Santo Onofre, em Cascavel. Além da emoção de ver a tão sonhada reforma geral e ampliação sair do papel e começar a ganhar forma com o início das obras, também ocorreu a mudança do local de atendimento aos alunos, para que os trabalhos na obra pudessem começar.

O desafio foi e tem sido grande, já que foi necessário alocar os alunos em três locais diferentes: no Salão Comunitário do bairro, no Estádio Olímpico e parte na Expovel. No Salão Comunitário foi organizada a cozinha e a parte administrativa, bem como três turmas em cada período. Os três espaços públicos, mesmo não sendo projetados para servir de sala de aula, abrigam os alunos de forma adequada e confortável e ainda promovem o aprendizado em relação à função desses locais.

Porém, passado o trabalho que toda mudança causa, e após grande esforço por parte da comunidade escolar e com o suporte da Secretaria Municipal de Educação, para a adequação dos espaços, agora servidores e alunos vivem a expectativa de verem breve a escola repaginada. Enquanto isso, os alunos estudam em locais diferentes e conhecem um pouco mais os espaços públicos que estão ocupando durante o período de reforma e ampliação da unidade escolar.

A diretora da escola, Julieta Ramão Martins Ranieri, conta que a compreensão e a colaboração de toda a comunidade escolar tem feito a diferença em todo o processo. “A gente fica contente, pois percebe que os professores estão felizes e as famílias também. Todos compreenderam a necessidade dessas mudanças em função da obra”, conta.

Muitos alunos, mesmo morando perto, não conheciam a Expovel ou o Estádio, e a vivência em local diferente tem sido bastante aproveitada pela equipe da escola. A grandiosidade do Estádio Olímpico Regional, por exemplo, chamou a atenção do aluno Erick Vascelai Trindade, que não conhecia anteriormente o local, mas está gostando da experiência. “É diferente, porque aqui tem bastante espaço”.

A coordenadora Marisa Parlow conta que a empolgação das turmas que utilizam o transporte escolar para chegar à Expovel também é diário. “Eles ficam empolgados de ir com o transporte escolar, é como se estivessem indo para um passeio”.

E junto com a novidade dos novos espaços provisórios, vem a expectativa em relação à obra. As crianças que passam perto da obra ficam atentas aos detalhes e percebem que as coisas estão mudando. O Erick, mesmo, disse que imagina que a escola ficará “Inovada” e um outro colega afirmou que a escola estava sendo “esticada”, referindo-se à ampliação que também vai acontecer durante a reforma. A Jhullie Moraes da Silva, já consegue vislumbrar o seu local favorito, depois que a obra for finalizada. “Eu imagino que vai ter um parquinho novo”, afirmou.

O mesmo brilho nos olhos dos alunos ao imaginar a escola nova também estava no olhar da diretora, ao acompanhar a visita na obra. Mesmo estando perto da obra, ela ficou admirada com o ritmo dos trabalhos, lembrando o quando a reforma geral era esperada por todos. “No tempo que eu estou na escola, e já faz 18 anos, a unidade nunca recebeu uma reforma, a não ser a ampliação do 2º andar, que foi uma intervenção feita após a construção”, disse ela, lembrando que a escola começou a atender no ano de 1976.

 

A obra

E por falar em obra, o ritmo realmente surpreende. Há frentes de trabalho em diversos espaços e boa parte das portas e janelas antigas já foram retiradas, assim como os revestimentos de piso. A reforma e ampliação da escola foi licitada em R$ 4.200.000,00 e tem prazo de 12 meses para ser finalizada.

A unidade receberá revitalização em todos os espaços, com adequação às normas vigentes em relação à Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros, e haverá adaptação das áreas de acesso e do pátio, garantindo acessibilidade. Também está prevista a construção de uma nova edificação, com 548,7m², com refeitório com capacidade para 180 crianças, área de serviços em anexo (cozinha, lavanderias, vestiários e despensa), um laboratório de informática e um auditório com 110 lugares.

Redação

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.