Cascavel puxa a fila do desemprego no interior do Paraná em março

Indústria da transformação, que inclui os frigoríficos, foi a que mais desempregou

O desemprego voltou a rondar Cascavel no último mês de março. Depois de registrar o melhor fevereiro dos últimos cinco anos na geração de emprego, quando foram criadas 864 vagas no mercado formal, um recuo no mês seguinte fez com que fossem fechados 221 postos de trabalho.

Números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados hoje  (24) mostram que em março as empresas contrataram 4.350 trabalhadores em Cascavel, mas em compensação demitiram 4751, uma variação negativa de -0,86%.

Em março do ano passado Cascavel havia criado 821 vagas.

O saldo do ano, no entanto, é positivo. Os números mostram que Cascavel gerou 1.385 postos no trimestre.

Entre as principais cidades do interior do Paraná, Cascavel puxou a fila do desemprego. Londrina fechou 184 vagas, Ponta Grossa 162 e Foz do Iguaçu 166. Maringá e Ponta Grossa tiveram variação positiva com a abertura de 184 e 162 vagas, respectivamente. Curitiba fechou 771 postos de trabalho.

Se for levada em consideração a variação negativa em todo o Paraná, que fechou 1.211 vagas, Cascavel respondeu por 18,2% do desemprego em março. A Capital paranaense foi responsável por 63,6% do desemprego registrado em março.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.