Auxiliar de Serviços Gerais: profissional fundamental para atendimento e humanização do Huop

Dos corredores aos leitos, oferecendo o melhor de seu trabalho a todos que passam pelo Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop), os funcionários dos serviços gerais são os responsáveis por deixar o ambiente hospitalar o mais agradável, confortável e seguro possível. Hoje, dia 22 de fevereiro, é comemorado o dia deles, os que limpam, higienizam, coletam resíduos, separam lixos, entregam roupas limpas e organizam o hospital para que todos tenham qualidade dentro do Huop. Ainda, segundo Eliane Terezinha Barbosa Comineti, gestora de contrato do serviço de apoio e coleta de resíduos, todos esses trabalhos vão muito além do que mostram ser. “A função da equipe da limpeza não é só limpar, ela tem um compromisso social, o mesmo com a coleta de resíduo, deve se ter o compromisso de que aquele resíduo que sai daqui irá para o destino certo”, diz ela.

Além disso, são serviços que passaram por uma grande evolução dentro do Huop, hoje por exemplo, a equipe da limpeza conta com a tecnologia da máquina pulverizadora para o auxiliar da descontaminação de todo o hospital. Com a máquina, o tempo de serviço diminuiu, oferecendo mais qualidade de trabalho para a equipe. “A gente ganha agilidade no serviço, ou seja, elas têm menos serviço braçal e o hospital ganha com isso, com tempo e qualidade de serviço, porque a gente certifica que aquele serviço ficou bem feito”, comenta Eliane. Tudo isso para certificar que o próximo paciente a utilizar o leito, tenha uma menor chance de contaminação possível, o mesmo para os servidores.

A tecnologia inserida no trabalho da equipe, causou um conforto e um maior reconhecimento dos funcionários. “Elas gostaram disso, então introduzimos essa máquina pulverizadora, capacitamos elas e elas viram o quão é importante a tecnologia trabalhada com elas, se sentiram mais aceitas, viram o valor delas dentro da instituição”, diz Eliane, pois dentro dos setores, toda a equipe multidisciplinar apoia o serviço e sabe que ele colabora com a saúde dos pacientes e de todos que passam pelo hospital.

Há pouco mais de um ano no serviço de zeladoria do Huop, Lúcia Helena Dias Brum já trabalhou na maioria dos setores do hospital e sente esse valor e sua importância no trabalho. Para ela, o serviço de limpeza é realmente essencial, pois uma cadeira limpa, um corrimão, faz a diferença no dia a dia do paciente. Por isso, com a máquina dando um maior auxílio, só agregou em seu trabalho. “A máquina pulverizadora veio muito a somar no nosso trabalho, porque ela alcança lugares que nem enxergamos, eu vi com meus próprios olhos o índice de descontaminação da máquina”, diz Lúcia. Além disso, a zeladora faz sempre o possível para entregar o seu melhor. “Me vejo muito satisfeita como profissional, eu acredito que dou meu melhor, a gente tenta ser perfeito”, completa.

Para a auxiliar de limpeza, Elci da Silva Arceles, que está há dez anos no Huop, é bastante visível o reconhecimento do trabalho. “Hoje nos sentimos mais valorizadas pelos funcionários, pela chefia, pelas enfermeiras, elas reconhecem muito o nosso trabalho”, comenta Elci, que também enxerga a importância de um trabalho bem feito. “Sinto que é um trabalho muito importante e de muita responsabilidade, sabemos que depois de fazer uma limpeza vai estar uma vida”.

Muito mais que serviço

Para o ambiente hospitalar estar sempre higienizado e longe da contaminação, as roupas de cama, veste hospitalar e lixos também devem ser trocados com frequência. Alex Félix de Souza é auxiliar geral e trabalha na lavanderia do Huop, ele conta que possui a rotina de muita organização e comprometimento. “Descarregamos o caminhão, guardamos o estoque, o encarregado vai até as alas para ver o que falta, quando ele volta montamos os carrinhos para subir com a rouparia. Fazemos esse trabalho duas vezes por dia”, fala Alex e complementa, “É um serviço excelente, não tem o que reclamar. Entregamos sempre 100% do serviço para o melhor da saúde dos pacientes”.

Assegurando ainda mais os pacientes e servidores, o hospital conta com os coletores de resíduos, que passam por todas as alas do hospital várias vezes ao dia para buscar e separar os lixos, pois cada um tem seu lugar correto. Para que esse trabalho seja realizado de forma segura, eles dependem da colaboração de toda a equipe do hospital, pois quando descartado de maneira incorreta, podem ser contaminados.

A comunicação entre os serviços é primordial, segundo Eliane, os acontecimentos são sempre alertados e ela, como gestora, faz a visita diária nas unidades, sinalizando quem está descartando, que os resíduos possuem descarte correto. “O representante que está lá embaixo também tem uma família, o coletor de resíduos, eu preciso que a equipe se comprometa com a saúde dele também”, diz a gestora.

Com isso, a humanização se faz muito mais presente no Huop. O coletor de resíduos, Odival Nunes de Oliveira sente que o seviço faz a diferença para a saúde de todos. “O serviço é bom para nós, bom para todos os pacientes e para todos os funcionários, pois evita muitos casos de doenças. Faço o impossível para não acumular lixo lá em cima, para ficar em boas condições para todos.”, conta Odival.

(Assessoria)

Redação

Jornalista desde 1998 com reportagens publicadas em grandes jornais do Brasil, como a Folha de S. Paulo e Gazeta do Povo. Teve passagens pelos jornais Gazeta do Paraná, O Paraná e Hoje, onde foi editor-chefe, além do portal CGN e Rádio Independência. Fundador dos jornais Boas Notícias e Boa Noite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.