Assinado anteprojeto de lei para permuta de áreas entre Município e Apae para construção do novo centro de saúde

Proposta agora tramitará no Legislativo para formalização da permuta (Foto: Secom)

O prefeito em exercício, Alécio Espínola, assinou no início da noite de hoje (28), no gabinete, na presença de boa parte do Legislativo e da diretoria da Apae, o anteprojeto de lei que contempla a permuta de áreas entre o Município de Cascavel e a entidade, o que viabilizará a construção do novo centro de saúde da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Cascavel, unidade que hoje realiza uma média de 5 mil atendimentos especializados ao mês. O próximo passo é a tramitação da proposta na Câmara para legalização da permuta.

“Sou filho de uma mulher que viveu a vida para os outros; ela faleceu em 2008 e gostaria que ela estivesse viva para presenciar este momento, pois este trabalho relevante que a Apae faz merece reconhecimento. É um honra poder contribuir na expansão da entidade, acelerando a tramitação deste projeto de lei para permuta de áreas. É um ambiente que salva vidas; é uma entidade que faz o que muitos não têm coragem de fazer, com uma equipe de profissionais que trabalha com amor e dedicação para fazer a diferença na vida dos jovens que lá estão”, enfatizou o prefeito em exercício, lembrando que em todas as ações que conduz enquanto está no cargo, nesses dias de férias do prefeito Leonaldo Paranhos, “tenho participado aos vereadores, com muito respeito”.

O presidente da Apae, Evilásio Schmitz, disse a Apae tem carência de novos espaços e este projeto vai possibilitar a construção de um novo centro de saúde com 2.400 m², ampliando os 5 mil atendimentos mensais e oferecendo maior conforto e qualidade aos alunos hoje já atendidos com atenção especializada e diferenciada. “Esperamos que no dia 17 de abril, quando a Apae comemora os 48 anos, possa ter a lei sancionada, para então dar início à construção”, anunciou.

TEA

Antes da assinatura, o prefeito em exercício e vereadores receberam a diretoria da Apae e membros da Amac (Associação de Mães de Autistas de Cascavel) que reivindicam a implantação, no Município, da segunda clínica-escola do Brasil para pessoas com diagnóstico de TEA (Transtornos do Espectro do Autismo). A escola modelo, primeira do País, funciona em Itaboraí, no Rio de Janeiro, e inspira a associação a lutar por projeto semelhante na nossa cidade, unindo todas as esferas para angariar recursos para construção e manutenção. Alécio e demais vereadores se comprometeram em conhecer a proposta no Rio de Janeiro e estudar a viabilidade do projeto para Cascavel.

(Secom)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.